Leia e veja agora as vantagens e desvantagens da cabotagem no Brasil

A cabotagem no Brasil está longe de atingir todas as suas potencialidades, constituindo um quadro negativo quando se tem em mente que o nosso país possui dimensões continentais e fartos recursos naturais à disposição.

Mas esse fato tem uma explicação histórica: ao priorizar o transporte rodoviário, optou-se por uma modalidade das mais caras, paralelamente à falta de atenção com as formas mais seguras e econômicas.

E no momento que estamos vivendo, com uma grande crise econômica pós pandemia, preço do combustível nas alturas, se faz necessário a análise competitiva de outros modais de transporte que possam ser viáveis e oferecer competitividade.

Embora não tenhamos muitas opções, de acordo com as particularidades da sua organização e até mesmo o volume de movimentação de cargas, a cabotagem pode ser extremamente viável.

Se você trabalha com logística e transporte, continue com a leitura deste artigo e confira cinco vantagens e quatro desvantagens da cabotagem, priorizando a realidade brasileira atual.

[E-Book] Guia de Container

Entenda em detalhes as especificações técnicas dos equipamentos usados nos seus embarques e tenha a oportunidade de reduzir custos utilizando esse documento de forma estratégica nas suas operações de importação/exportação.

Ao preencher o formulário e informar seus dados você concorda com a Política de privacidade da Simplifica.

O que é cabotagem

Denominado de várias formas, a cabotagem, transporte hidroviário, ou transporte aquaviário trata-se de um processo de transporte por via marítima, limitado à área costeira, ainda que o percurso inclua trechos de rios ou lagos.

Os produtos são movimentados de um porto a outro dentro do país, diferentemente da navegação de longo curso, aquela que envolve portos de vários países.

A movimentação de cargas via modal hidroviário apresenta várias vantagens em relação a outras modalidades, seja quanto aos riscos envolvidos, seja quanto ao valor dos fretes.

Mas há também algumas desvantagens, muitas delas, como no caso brasileiro, associadas à falta de investimentos nesse campo.

Principais vias marítimas de transporte do Brasil

No total são 26 hidrovias e mais de 19 mil quilômetros de extensão em vias marítimas no Sistema Nacional de Viação Brasileiro.

Muito se discute acerca do assunto no que diz respeito a realmente explorar o potencial hidroviário do nosso país pois apenas cerca de 30% da malha marítima do país é explorada para transporte.

Com a intenção de informar melhor acerca das principais vias vamos levantar aqui as principais vias de transporte por cabotagem do Brasil de acordo com as regiões hidrográficas.

Tocantins-Araguaia

Na região hidrográfica Tocantins-Araguaia temos as duas principais vias da região Centro-Norte do país.

Com extensão de 1654,6 quilômetros a hidrovia do rio Tocantins se estende da cidade de Belém no Pará até a cidade de Peixe em Tocantins

Já á hidrovia do rio Araguaia tem a possibilidade de transporte da foz no rio Tocantins até a cidade de Baliza Goiás, com 1733,8 quilômetros de extensão.

Paranaíba

Na região nordeste a hidrovia do rio Paranaíba parte da foz, no oceano atlântico, até Santa Filomena no Piauí com a extensão de 1259,5 quilômetros de rios navegáveis.

São Francisco

Se tratando da região hidrográfica que compõe a extensão de transporte hidroviário do rio São Francisco são várias hidrovias ligadas ao Velho Chico.

A principal na extensão do Rio tem 2532,4 quilômetros de extensão e parte da foz, no oceano atlântico, passando pela cidade de Piranhas em Sergipe, até a cidade de Iguatama em Minas Gerais.

Paraná

Na região hidrográfica do estado do Paraná as principais hidrovias são, a do próprio rio Paraná, que parte da cidade de Foz do Iguaçu, até o encontro com os rios Paranaíba e Grande com extensão de 797,5 quilômetros.

Outra hidrovia importante da região é a do rio Tietê, com 950,7 quilômetros de extensão partindo da foz no rio Paraná, até a cidade de Mogi das Cruzes em São Paulo.

Por fim, a hidrovia do Rio Paranaíba com 702,8 quilômetros de extensão também é uma via navegável importantíssima o transporte hidroviário da região hidrográfica do Paraná.

Paraguai

Da região hidrográfica do Paraguai temos o rio Paraguai com extensão de 1217,3 quilômetros partindo da foz, no rio Apa até a cidade de Cáceres no Mato Grosso.

Amazonas

A maior região hidrográfica do nosso país conta com hidrovias como do Rio Solimões, do Rio Amazonas, Rio Madeira entre muitos outros.

Uma região extremamente importante para o desenvolvimento da cabotagem, com muitas instalações portuárias, rica em vias, e com muitas oportunidades para o modal no país.

Vantagens da cabotagem

O Brasil tem grande potencial de desenvolvimento no setor, decorrente de fatores como suas condições naturais (aproximadamente oito mil quilômetros de costa navegável), sua infraestrutura portuária bastante desenvolvida, com considerável número de portos, e o fato de a maioria da população viver próximo às regiões litorâneas.

Entretanto, ele não é explorado de forma satisfatória, principalmente em razão da predominância do modal rodoviário.

Com a falta de estrutura e desenvolvimento de vias marítimas ligadas a grandes pontos de distribuição, se torna cada vez mais difícil a utilização do transporte por cabotagem.

Vejamos cinco vantagens da cabotagem:

1. Segurança

De uma perspectiva geral podemos concluir brevemente que o modal hidroviário é muito mais seguro do que o modal rodoviário.

O alto volume, não só de veículos de carga pelas vias aumenta exponencialmente o risco de acidentes, sem contar na ocorrência de roubos e desvios de cargas que acontecem com frequência no Brasil.

2. Alta capacidade de carga

O transporte por cabotagem permite movimentar um alto volume de produtos, seja acondicionado em containers, ou também em embarcações apropriadas como as que movimentam commodities.

É uma ótima opção para o mercado partindo da riqueza do Brasil em relação aos produtos do agro e o grande volume de exportações que aquecem a economia do país.

3. Redução do impacto no meio ambiente

É comprovado que o transporte rodoviário é um dos grande responsáveis pelo alto volume de poluentes todos os dias.

O modal hidroviário, por sua vez, oferece um pequeno potencial de agressão à natureza (pouco poluente e com mínimas possibilidades de ocorrência de acidentes).

4. Custo/benefício em relação ao consumo energético

Se comparador aos outros modais de transporte, o transporte por cabotagem traz um melhor custo benefícios visto que o consumo de combustíveis é menor.

O que lhe confere grande eficiência energética (capacidade de movimentação de mercadorias por unidade de combustível consumido).

5. Benefícios sociais

O uso intensivo da cabotagem diminuiria consideravelmente a frota de caminhões nas estradas, com a consequente redução de gastos com manutenção, além da acentuada queda do número de acidentes e mortes.

Desvantagens da cabotagem

Como mencionado, a movimentação ocorre entre portos nacionais, portanto uma operação eminentemente doméstica (dentro do país).

O que de qualquer forma, ainda tem a necessidade de deslocamento até os pontos de operação hidroviários, ocasionando a necessidade do uso de um modal de transporte versátil e que ofereça agilidade, como o modal ferroviário.

E, apesar disso, os órgãos responsáveis por sua fiscalização — como a Anvisa e a Polícia Federal — classificam a atividade como sendo de comércio exterior, do que decorrem as inevitáveis burocracias em sua inspeção e regulamentação.

Acompanhe quatro de seus inconvenientes:

1. Lentidão

A lenta velocidade de deslocamento inviabiliza a entrega de bens dentro de prazos muito curtos.

2. Rotas limitadas

Restrições relativas às rotas disponíveis, devido à falta de investimentos governamentais, assim como à deficiente integração entre os vários modais de transporte (rodoviário, ferroviário, aéreo, aquaviário e dutoviário).

3. Elevados preços dos combustíveis

Altos gastos com combustíveis em função de seu preço, visto não haver benefícios fiscais (isenção de impostos), como ocorre com o óleo diesel para caminhões.

4. Restrição ao capital estrangeiro

A legislação brasileira exige que a atividade seja realizada por navios com bandeira nacional, fator que restringe a entrada de capitais estrangeiros no setor.

Conclusão

O principal ponto que dificulta a utilização do transporte por cabotagem no Brasil é a necessidade de integração com outros modais de transporte.

Tornando inviável a utilização por questões de custos, logística e também de tempo de trânsito.

Os panoramas são positivos para o desenvolvimento do modal, com novas tecnologias e o leque de oportunidades de vias marítimas para se explorar no Brasil, há boas perspectivas.

Por fim, a viabilidade da utilização da cabotagem é diretamente ligada a proximidade de pontos de embarque e desembarque e a viabilidade de deslocamento da sua carga até esses pontos.

Levantamentos os principais pontos, positivos e negativos, e vale analisar em relação a custos se a operação torna sua logística mais competitiva em um contexto geral.

Para que você entenda mais e continue estudando a respeito da competitividade entre os modais de transporte no Brasil, clique aqui e leia o nosso artigo sobre os principais modais de transporte no país!

Atualizado em 07/2022

A virada digital na logística é cada vez mais real no Brasil!

Tendo em vista o impacto da tecnologia no mercado de logística mundial, muitas empresas do Brasil estão aderindo a um modelo mais automatizado, ágil e eficiente para promover a virada de chave na logística das organizações. Se inscreva e comece a dar os primeiros passos rumo à essa transformação!

Há 4 anos no mercado exploramos a tecnologia como um meio para fazer a conexão entre empresas que precisam contratar fretes de forma totalmente descomplicada e transportadoras que oferecem esses tipos de serviços. Garantindo a segurança do transporte, o sucesso da operação e a satisfação das organizações envolvidas.

Funcionamento

Segunda – Sexta: 8:00 – 18:00

Contato

(35) 3214-3060
[email protected]
Rua Noruega, 189, Jardim Andere
Varginha – MG, 37006-340